De içar voo

o coração aperta,
os dedos encolhem,
a mão não alcança.

cega de tato,
e imprecisa de si mesma,
não iça voo.

conclui-se não de um todo,
mas de metade ser;

há falência.

pena-se, então, em eminência
à beirar o cume,

tocar o outro,

esse é
o bater das asas.

Marlon Oliveira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s