Rígida distância

“senti com mais vivacidade o que já havia notado várias vezes: as pessoas de certa posição conservam-se sempre a uma rígida distância das pessoas comuns, como se receassem estar perdendo com a aproximação; há também os levianos e os zombadores maldosos que aparentam descer até o pobre povo, para melhor mostrar a sua arrogância.
Bem sei que não somos, nem poderíamos ser iguais. Mas considero aquele que vê como necessário afastar-se do que se chama povo para fazer-se respeitar tão censurável quanto o covarde que se esconde do inimigo com receio de ser vencido.”

Goethe em Os sofrimentos do jovem Werther

Anúncios