A lucidez absoluta

“não nos interrogamos o tempo todo, sendo a lucidez absoluta incompatível com a respiração. Se estivéssemos a cada momento, conscientes do que sabemos, se, por exemplo, a sensação de falta de fundamento fosse ao mesmo tempo contínua e intensa, cometeríamos suicídio ou cairíamos na idiotia. Só existimos graças aos momentos em que ‘esquecemos’ certas verdades e isso porque durante esses intervalos acumulamos a energia que nos permite enfrentar as ditas verdades.”

Cioran em Exercícios de admiração

Anúncios