Suicídios por amor

“Nutro o maior desprezo por aqueles que ridicularizam os suicídios por amor, pois eles são incapazes de compreender que um amor irrealizável representa, para quem ama, uma anulação do próprio ser, uma perda total de sentido, uma impossibilidade de existir. Quando amamos com todo o conteúdo do nosso ser, com a totalidade da nossa existência subjetiva, uma irrealização desse amor só levará ao desabamento completo do nosso ser. As grandes paixões, quando não podem ser realizadas, levam à morte mais rapidamente que as grandes doenças. Nas grandes doenças, nós nos consumimos numa agonia paulatina, enquanto nas grandes paixões contrariadas nos extinguimos como um relâmpago. Só admiro duas categorias de pessoas: as que podem enlouquecer a qualquer momento, e as que podem se suicidar a qualquer momento. Só elas me impressionam, porque só nelas fervilham grandes paixões e se desenvolvem grandes transfigurações. Quem vive positivamente, com a segurança de cada instante, encantado pelo passado, pelo presente e pelo futuro, merece apenas a minha estima. Só quem a cada momento se encontra em contato dramático com as realidades últimas me comove para além de qualquer resistência.”

Cioran em Nos cumes do desespero

Anúncios