Não se despreza

“- Vejam, olhem para ela – dizia Nastácia Filíppovna tremendo de fúria -, para essa grã-senhorinha! E eu a considerava um anjo! A senhora veio à minha casa sem a governanta, Aglaia Ivánovna!… Quer que eu lhe diga agora mesmo, com franqueza, sem exageros, por que a senhora veio até aqui? Teve medo e por isso veio.
– Medo da senhora? – perguntou Aglaia fora de si, movida por uma surpresa ingênua e ousada porque a outra se atrevia a falar desse jeito com ela.
– Claro que de mim! Se resolveu vir aqui foi por medo de mim. Não se despreza quem se teme.”

Dostoiévski em O idiota