O que estou procurando agora

“De algum modo, a juventude parece mais próxima de mim hoje do que quando era moço. Não mais considero a felicidade inatingível como há muito tempo eu a considerava. Agora sei que ela pode acontecer a qualquer momento, mas que nunca deveria ser buscada. Quanto ao fracasso ou à fama, são muito irrelevantes e nunca me preocupei com eles. O que estou procurando agora é a paz, a alegria de pensar e da amizade, e, embora possa ser demasiada ambição, uma sensação de amar e de ser amado.”

Jorge Luis Borges,
aos 70 anos, em Um ensaio autobiográfico

Anúncios