A verdadeira obscenidade

“A pornografia é o maior antídoto para as imagens que ela difunde; ela transforma a violação em rotina, mergulha-nos em um interminável bocejo. Deveriam prescrevê-la como remédio para os insones: suas virtudes soporíferas fazem maravilhas!
[…]
A verdadeira obscenidade, afinal, é nossa avidez de contemplar a morte e o sofrimento dos outros, é nossa gula pelas catástrofes na televisão ou na estrada, quando todos param para ver os corpos estraçalhados depois de um acidente. As multidões que se acotovelavam antigamente nas execuções públicas não eram movidas pela preocupação com a justiça: deleitando-se com a agonia de desconhecidos, tentavam conjurar o horror da morte. Elas observavam os seres supliciados com uma mistura de repulsa e apaziguamento.”

Pascal Bruckner em O Paradoxo amoroso

Anúncios