Tormento do misantropo

“A afirmação de que não precisamos de ninguém vem acompanhada da desoladora constatação de que ninguém precisa de nós, o orgulho da autossuficiência vem acompanhado da angústia de estar só; a aspiração a se distinguir, da imitação frenética dos outros. Tal é o tormento do misantropo: praticar a sedução pela invectiva, mendigar a aprovação dos homens desprezando-os simultaneamente, esconder o desejo desmedido de companhia sob as aparências de afastamento. Ele parece estar no mundo para vomitá-lo, e, se o mundo lhe dá as costas, lê nessa frieza a correção de seu diagnóstico e vaticina a maldade das pessoas.”

Pascal Bruckner em O Paradoxo amoroso

Anúncios