Para sair do narcisismo

“A mesma amiga psiquiatra que eu evocava há pouco me disse um dia: “As pessoas não sabem amar a si mesmas; elas são narcisistas demais para isso.” Elas se amam apaixonadamente; elas são, como Narciso, prisioneiras da própria imagem, de seu euzinho adorado, como que apaixonadas pelas ilusões que têm sobre si. Como poderiam se amar verdadeiramente, tal como são? Há um texto de Freud que se chama Para introduzir ao narcisismo. Eu gostaria de escrever um que se chamasse Para sair do narcisismo. Não para deixarmos de amar a nós mesmos, mas para aprendermos a nos amar tal como somos, em nossa banalidade de humanos, portanto a amar também os outros, em vez de amar apenas, como Narciso, nossa imagem ou o que acreditamos ser. Mas não é preciso escrevê-lo. Esse livro já existe. Seu titulo: Os Evangelhos.”

André Comte-Sponville em O Amor

Anúncios