Quando existe amor

“Logo, quando existe amor, já não é preciso se preocupar com moral. “O que se faz por coerção, não se faz por amor”, observa Kant. A recíproca também é verdadeira: o que se faz por amor, não se faz por coerção. É por isso que o amor liberta da moral, não abolindo-a, para retomar a fórmula dos Evangelhos, mas consumando-a. Para tanto, não é necessário ser kantiano nem cristão. Nietzsche, que não era nem uma coisa nem outra, também dirá isso: “O que é feito por amor sempre se consuma além do bem e do mal.” Mas era de fato esse o espírito do Novo Testamento, que santo Agostinho resumiu genialmente numa frase: “Ame e faça o que quiser!” É o espírito de Cristo; é o espírito do amor, com ou sem Deus: quando existe amor, já não é preciso se preocupar com moral, dever, obrigação; é só agir por amor e basta.”

André Comte-Sponville em O Amor

Anúncios