A tentação totalitária

“O que move uma personalidade totalitária é a certeza de que ela está fazendo o “bem para todos”, não é a vontade de destruir grupos diferentes do dela. Primeiro vem a certeza de si mesmo como agente do “bem total”, depois você vira autoritário em nome desse bem total. O melhor antídoto para a tentação do totalitarismo não é a certeza de um “outro bem”, mas a dúvida acerca do que é o bem, aquilo que desde Aristóteles chamamos de prudência, a maior de todas as virtudes políticas. Não confio em ninguém que queira criar um homem melhor.”

Luiz Felipe Pondé, em texto na Folha

Anúncios