Jesus morreu em seu lugar

Paralelamente, é necessário entender que a noção de substituição está implícita no discurso da boa nova apresentado pelos autores do Novo Testamento, mas em posição oposta à que reservamos para ela e com um sujeito oposto. Para o Novo Testamento, devemos nós agir como os substitutos vicários de Jesus, e não o contrário. Na lógica do reino, não é que Jesus nos substituiu para que fossemos salvos; nós é que somos salvos para que sirvamos de substitutos dele. Por isso o “como o Pai me enviou estou enviando vocês”; por isso o “Jesus sofreu pelos outros para que sigamos seu exemplo e seu destino”; por isso “o Espírito os capacitará a serem minhas testemunhas”. Nossa vocação é vivermos e morrermos na qualidade de substitutos de Jesus, cumprindo (satisfazendo) nisso a vontade do Pai.

Não há nada que queiramos menos.

Paulo Brabo

Anúncios