Triste ideal cristão

“Para muitos crentes, Deus é “meu Deus”. Uma espécie de possessão burguesa para salvar minha alma. Com frequência, como sempre, essa imagem de Deus se mistura com o ideal de justificar-me e, para ele, retirar-me das coisas do mundo que me possam manchar. Para levar uma boa vida, busca-se um refúgio do mundo e da sociedade.

Triste ideal cristão que foge do compromisso na história e desconhece o Reino de Deus e a imagem do Deus da solidariedade.”

José María Mardones em Matar nossos deuses – Em que Deus acreditar?

Anúncios