Sejam sal, sejam luz

“O que ecoa no meu peito são as palavras de dispersão. Vão – disse o mestre – sejam sal, sejam luz, sempre indo, caminhando, espalhando, dispersando, sumindo na multidão. Sal se dissolve e some. Dá gosto mas, depois que é espalhado, ninguém mais sabe onde está. Sumiu, mas salgou. Luz não se pega, não se toca, ninguém sabe descrever sua aparência. Sabemos que há luz porque tudo se torna visível – mas não sabemos onde ela está, não podemos tocá-la, descrevê-la.”

Tuco Egg

Anúncios