É ridículo levar-se a sério

“É impolido dar-se ares de importância. É ridículo levar-se a sério. Não ter humor é não ter humildade, é não ter lucidez, é não ter leveza, é ser demasiado cheio de si, é ser demasiado severo ou demasiado agressivo, é quase sempre carecer, com isso, de generosidade, de doçura, de misericórdia…O excesso de seriedade, mesmo na virtude, tem algo de suspeito e inquietante: deve haver alguma ilusão ou algum fanatismo nisso…”

André Comte-Sponville em Pequeno Tratado das Grandes Virtudes

Anúncios