Todos somos iguais

“Não é à toa que no próprio centro da mensagem de Jesus de Nazaré esteja a proclamação de que o reino chega, também e prioritariamente, para os pobres, ou seja, os que a sociedade submete a qualquer tipo de marginalização. E não como novo particularismo, mas bem pelo contrário: como o único modo de assegurar a universalidade para todos, pois é claro que, só começando por baixo, é possível universalizar deveras, quebrando a cadeia dos privilégios.”

Andrés Torres Queiruga em Um Deus para hoje

 

Anúncios