Nunca me perdoou

“Ela queria colocar a culpa em mim, nas minhas faltas constantes. Eu lhe cortei a palavra. Encarei-a e senti sua respiração na minha nunca, quando ela bufou “Assine!” naquela época. Vi seu sorriso depois de eu ter rasgado o contrato. Mostrei a ela os orçamentos errados, as premissas erradas, as interpretações erradas dos dados. Eu lhe mostrei os erros, um por um. Eu os repeti. Eu os declamei. Eu acabei com Ruth Adamek, que nunca me perdoou por eu não ter caído nas graças de sua minissaia.”

Pascal Mercier em A partitura do adeus

Uma antiga história hindu

“Existe uma antiga história hindu: Um grande rei construiu um palácio, e as paredes eram revestidas de espelhos, milhões de espelhos. Entrar nesse palácio era maravilhoso. Você podia ver seu rosto em milhões de espelhos à sua volta; milhões de você à sua volta. Podia pegar uma vela – e milhões de velas; uma pequena vela ficava refletida em milhões de espelhos, e todo o palácio ficava completamente iluminado por uma pequena vela.
Uma noite aconteceu, por acaso, que um cão entrou ali. Olhou em torno e ficou muitíssimo assustado – milhões de cães! Ficou tão apavorado que se esqueceu completamente da porta por onde entrara. Naturalmente, com milhões de cães à volta – a morte era certa. E começou a latir – e milhões de cães começaram a latir. Ficou agressivo – e milhões de cães ficaram agressivos. E se atirou contra as paredes. Pela manhã, foi encontrado morto. E não havia ninguém, exceto o próprio cão.
E esta é a situação de todo o mundo. Você late, luta, ama, faz amigos e inimigos, e cada pessoa funciona como um espelho para você. Tem que ser assim. A menos que você desperte e compreenda quem você é, continuará a ver no espelho dos outros o seu próprio reflexo – a fazer amor com seu próprio reflexo e a lutar contra seu próprio reflexo. O ego é absolutamente masturbatório. É uma verdadeira masturbação – fazer tudo para si mesmo através de seus próprios reflexos.”

Osho em Antes que você morra

Contra a verdade não existe vitória

“Esse é o problema com todas as pessoas. Você sabe de muitas coisas, mas ainda quer fingir diante delas. E não há possibilidade de vencer a verdade; ninguém pode ser vitorioso. Você ainda pode tentar por muitas vidas mais, […] mas contra a verdade não existe vitória. A vitória está sempre com a verdade. Você pode criar ilusões, pode viver de olhos vendados, num mundo de sonhos, pode viver de olhos fechados, mas isso não faz diferença – seu mundo fictício é fictício, e a verdade está esperando ali. E quanto mais você viver na ficção, mais terá medo de que ela seja despedaçada. Essa é a conveniência.”

Osho em Antes que você morra